domingo, 6 de fevereiro de 2011

Pacey & Joey (Dawson’s Creek)

“I remember everything…”
(Imagem by Polly)


Acho digno inaugurar esse projeto com o que foi a minha primeira obsessão em termos de casal, né? Naquela época eu nem sabia o que era fandom, ships e coisas do gênero, mas Dawson’s Creek foi a primeira série que me envolveu a ponto de me colocar na internet atrás de notícias, foi a primeira série que me deu bons amigos (e alguns inimigos!), foi a primeira série cujos personagens passaram a fazer parte integral da minha vida e mesmo hoje, anos depois do final, eles ainda são mais do que queridos pra mim…

(curiosidade: pra quem não sabe, na época eu mantinha um site centrado nesse casal, chamado True Love Brasil. Era trabalho beeem amador, mas tinha minhas fics, minhas opiniões, fotos, vídeos… Bons tempos aqueles…)
Sempre que eu vou falar desse casal, eu começo dizendo que, sim, pra mim eles eram claros desde o princípio. O primeiro episódio que eu assisti de DC não foi o piloto (na época eu ainda não era tão ligada assim em séries, foi um amigo que me recomendou e eu decidi “experimentar) – foi o episódio 107 (Detention) e, na minha opinião, eles eram claramente feitos um para o outro desde então… Quer coisa mais linda do que o Pacey desafiando a Joey a falar dos sentimentos pelo Dawson? Prova de que ele a conhecia muito bem, muito melhor do que ela imaginava…

(e não dá pra esquecer que teve um episódio centrado nos dois como possível casal ainda na primeira temporada, ou seja, não foi uma plot totalmente inesperada quando realmente aconteceu…)

Diferente do que algumas pessoas podem pensar, eu não rejeito totalmente os relacionamentos que tanto a Joey quando o Pacey tiveram antes de ficarem juntos. Muito pelo contrário, acho que foram necessários para o crescimento dos dois como pessoa, foram parte da jornada que, eventualmente, colocou os dois juntos, no mesmo lugar e com os mesmos sentimentos…

Uma das coisas que eu mais gosto em PJo é a naturalidade do relacionamento. Sim, eles tiveram um início conturbado, cheio de negação, obstáculos e sentimentos reprimidos mas, uma vez juntos, eles logo nos proporcionaram cenas que eram impossíveis de se assistir sem um sorriso no rosto… A cena do 402, por exemplo, quando eles estão se provocando e acabam trocando um bruta beijo na porta da sala de aula? Adorável! Porque a Joey sempre foi uma chata com demonstrações públicas de carinho (tanto com o Dawson e ainda mais com o Jack), mas com o Pacey ela nem hesitava…

Outro ponto forte? O fato de que eles continuavam se provocando infinitamente, mesmo com o namoro firme… Seria muito chato se eles perdessem a dinâmica incrível que eles tinham construído nos três anos anteriores, então foi bem feliz ver que, claro, muita coisa mudou entre eles mas, no final das contas, eles ainda eram Pacey e Joey…

Uma coisa a ser discutida, é o final do relacionamento, de forma bem cruel, no final da 4ª temporada. Apesar de uma eterna apaixonada por Joey Potter e de sentir as dores dela ali, eu entendo total e completamente o Pacey. Ele sempre, sempre, sempre se sentiu a pior pessoa do mundo e é fato que as pessoas ao redor dele nunca o ajudaram a enxergar que não era bem assim. Ele evoluiu bastante nas 4 primeiras temporadas, o relacionamento dele com a Andie e com a Joey ajudaram bastante mas, de alguma forma, ele sempre se sentiu inferior a todo mundo ali… E vários acontecimentos na vida dele, mesmo durante o relacionamento com a Jo, não ajudaram ele a enxergar que as coisas tinham mudado… E, assim, todo mundo sempre enxergou o futuro na Joey, ele acima de qualquer pessoa. Ele sabia que ela ia longe, se ela quisesse ir, ele sabia que, se dependesse dela, ela se despediria de Capeside para nunca mais voltar… E, tendo certeza do futuro dela, ele não tinha a menor ideia de como seria o futuro dele…

Não justifica, é claro, a forma cruel como ele terminou o namoro, os gritos, os insultos, a mágoa que ele causou no que era pra ser uma ocasião super especial na vida dos dois (falando nisso, os bailes de DC eram todos trágicos, né? Só aconteceu coisa ruim, minha nossa! LMAO). Mas ele era só um adolescente, tinha seus 17 anos e estava confuso e magoado. E eu gosto que, eventualmente, eles tiveram uma boa conversa e colocaram um final mais decente no relacionamento. No fim das contas, o final do namoro acabou fazendo bem para os dois. Acho que o Pacey precisava descobrir o que ele queria e quem ele era, e a Joey precisava viver a vida que sempre sonhou, longe de Capeside…

Eu acho interessante, porém, que apesar de eles terem demorado um certo tempo para se recolocarem no caminho um do outro romanticamente, de alguma forma eles continuaram tendo seus pequenos momentos – da mesma forma que foi antes de eles ficarem juntos, nas primeiras temporadas da série. (apesar do relacionamento ter sido praticamente ignorado no começo da 5ª temporada, coisa que me frustra até hoje, mas tudo bem…) Acima de qualquer coisa, eles continuaram a ser amigos, mesmo com tudo que tinha acontecido entre eles. E acho isso significativo, sabe, porque mostra que os sentimentos que eles tinham um pelo outro estavam acima das mágoas que eles tiveram…

No fim, acho que ficou muito claro que todas as tentativas do Pacey de crescer na vida vieram do fato de que ele queria ser “digno” do amor da Joey. E ela teve que aprender a ser uma pessoa separada do Dawson para estar pronta a se entregar totalmente para o Pacey. (isso não é uma crítica ao relacionamento DJo, por favor. Acho que eles tinham uma amizade muito, mas muito bonita mesmo, mas eles acabaram confundindo os sentimentos e criando uma relação de inter-dependência que era muito ruim para os dois e que acabou ficando no caminho da Joey muitas vezes. Então ela teve que passar por tudo que ela passou com ele – e sem ele – para entender que não era uma questão de escolher lados, que não era uma questão de ou uma pessoa ou outra. Então, sim, foi doloroso, mas valeu a pena…)

O interessante em PJo, na minha opinião, está no fato de eles terem, literalmente, crescido juntos. Eles passaram por todos os tipos de problemas, no relacionamento ou fora dele, e, de alguma forma, estavam sempre perto um do outro, quando necessário. Eu gosto disso, desse amadurecimento que foi doloroso pra caramba em alguns momentos, que causou estranheza e mais mágoas em alguns momentos, mas que culminou com um futuro. O futuro que eles sempre mereceram, mas que eles nunca acharam que teriam juntos…

O final da série – apesar da tristeza que foi a morte da Jen – foi perfeito porque foi o ápice de uma jornada que nem sempre foi fácil, mas que foi necessária. No fim das contas, não era uma questão de “escolher a melhor opção”, mas sim uma questão de estarem prontos para um relacionamento que, sem dúvida nenhuma, duraria pra sempre…

3 comentários:

Adara disse...

Posso falar que chegou uma parte ali que eu achei que tava lendo minha analize do relacionamente Tim/Tyra? Não os personagens em si (se bem que Pacey e Riggs podiam ser primos or something), mas o relacionamento e as nuances do mesmo, chegou uma hora ali que ficou td muito parecido na minha cabeça lol.

Mas, dudette, otima analize. Pra quem viu a serie e gosta e consegue ver os dois lados da coisa, concordo com vc em mais coisas do que eu achei que fosse concordar... true story.

Tathy disse...

Vale dizer que eu li um post inteiro sobre PJ sem querer parar só porque foi você que escreveu? LMAO

Anônimo disse...

Nosso adorei tudo sobre o que escreveu sobre PJo.Me apaixonei pelo casal desde do 1° momento, sei que muitos gostam de DJo, mas eu nunca, de verdade achei que ele pudesse ficar com ela, o Pacey é o homem da vida dela sem dúvidas, pois esteve com ela em todos os momentos (1° homem, a ensinou a dirigir, falou do amor dele sem ter medo por ela estar ou ser afim do Dawson). Todas as palavras ditas no seu blogger são perfeitas.